Hardware no Linux

Informações sobre manipulação de dispositivos de hardware no Linux.

Listar todos os dispositivos PCI conectados ao computador:
lspci –vv

Listar todos os dispositivos USB conectados ao computador:
lsusb –vv

2)Através de um dos comandos acima vamos obter o nome/modelo do chipset; Em geral, o nome do chipset é o mesmo nome do modulo a ser carregado.

3) Caso não disponha do driver, pesquise no google pelo nome do modulo.

4) Uma vês obtido, faça o download e descompacte o arquivo em: /usr/src

5) Verifique se dentro do diretório descompactado existe o arquivo makefile. Se existe, basta executar o comando make e, depois o make install. Se não existe, execute o install, e verifiquei o procedimento de compilação, descrito.

6)A seguir os comandos:
depmod -a

modprobe “modulo”

7)A parir deste ponto o hardware está pronto para ser configurado.

Wireless:
O driver é dividido em duas partes
1 modulo faz a interface com o usuário (“wlan”) – aberto
1 modulo gerencia o transmissor

Webcam(USB)
1) ligar a webcam
2) lsusb –vv

vendor e productID
achar o driver (http://mxhaard.free.fr)

comando para ativar o SMART no disco: ter instalado o pacote smartmontools
smartctl -s on /dev/sda

Teste de velocidade de transferência do disco:  hdparm -Tt /dev/sda

Portas Seriais:
Por padrão, as portas seriais são configuradas para a máxima velocidade do seu chip controlador (“UART”), que é 115.200 bps. A maioria dos driver não suporta velocidades tão alta. Recomenda-se baixar a velocidade para os primeiros testes:

28.800 – para modems

9600 – para terminais seriais

Câmeras Digitais:
– kodak : libgPhoto
– Canon (PIP): tcp/ip
– Sony: sistema vfat

Bluetooth:
– pacote: bluez-utils
– pacote: obex-ftp
– editar /etc/bluetooth/main.conf (usuario/senha de parâmetro)
– editar /etc/bluetooth/rfcomm.conf (mac do dispositivo)
– instalar o bluez e o openobex

Disco:
No Linux, os dispositivos de disco, possuem um nome que seguem o padrão abaixo:
sda1
sd – tipo de dispositivo {sd – scsi, hd – IDE}
a – numero da unidade de disco {ide – max4(a-d) – scsi – max 26(a-z)}
1 – número da partição {1-4 – primária/estendida , 5 >= logica}
Sata e pendrives são todos considerados discos scsi
Posso ter mais que 26 discos scsi? sim, mas apenas com o uso de LVM (Gerenciamento de volumes lógicos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *